quarta-feira, 9 de maio de 2018

Lendas rescritas 12


A minha descoberta

      Olá eu sou o Manuel e eu vou contar-vos uma história.

      Estava eu num café ao lado da Sé Catedral da Guarda, quando vi dois meninos a entrar na igreja. Como àquela hora não havia missa, achei muito estranho e fui atrás deles para ver o que se passava.

      Entrei na Sé Catedral e vi que eram o João e o Pedro. Estes, dirigiram-se para um órgão de tubos, de onde retiraram uma chave maior do que o normal e de ferro. Coloquei-me atrás de um pilar enorme e escutei o que diziam.

      O João sussurrou ao Pedro que provavelmente, aquela chave abria uma caixa na Torre dos Ferreiros, pois tinha uma gravura de uma torre e uma ferradura.

      Depois, os dois rapazes saíram apressados em direcção à Torre dos Ferreiros. Eu estava curioso em saber no que isto ia dar, então segui-os. Subiram as escadas, até ao topo da torre, onde numa ranhura enfiaram a chave que tinham encontrado. Abriram a caixa e retiraram um papiro com letras escritas a ouro e muito trabalhadas.

      Os dois amigos ficaram dececionados e tristes, pois estavam a contar encontrar um tesouro com moedas ou jóias antigas e afinal era apenas um poema. Após o João e o Pedro se afastarem e terem deixado o papiro em cima da caixa, eu saí do meu esconderijo e apanhei-o.

      Qual não foi o meu espanto quando verifiquei que era o documento original com a decisão do padre Simão de mandar erguer a Igreja Nossa Senhora dos Remédios no cruzamento das estradas da Aldeia do Bispo, para a Povoa do Mileu e para o Sabugal.      

      Com esta descoberta o meu nome passou a constar ao lado deste documento, no Museu da Guarda.

                                                                                                              A Senhora dos Remédios
                                            Manuel Trindade Monteiro Santiago; 6ºA

Sem comentários:

Enviar um comentário